terça-feira, 28 de maio de 2013

Relato de Campanha Capítulo 6: Todo reforço é muito bem vindo.

O Relaht Vishmo fora abatido sem maiores problemas, então os cinco heróis ouvem um baque abafado atrás deles, e percebem então que as garras que prendiam as pessoas à parede es abriram e seus prisioneiros caem inconscientes. Alguns segundos depois aquelas pessoas começam a recobrar a consciência. 

A primeira a acordar completamente foi Gidean, uma poderosa guerreira, trajando uma armadura completa. A medida que a guerreira se levanta pedaços da crosta que se formava em seu corpo começam a cair até que ela esteja completamente limpa. 

- Obrigado por me libertarem, fiquei sabendo do que estava acontecendo aqui e vim investigar, mas confiei demais em minha própria força e quando percebi já havia sido aprisionado por esta criatura horrenda. - falou a Gidean com uma voz tristonha.

Então outros começam a levantar e apresentar-se: Débora uma magistrada de Ardhi que assim como Gidean, confiou em sua própria sabedoria, mas sua fé não foi suficiente para resistir às ilusões do Relaht Vishmo; Siqueira, um Defensor da Fé que por pouco não apostatou e também se deixou levar pelas ilusões do mestre do relativismo; Mateus, um soldado de elite que como os outros achou que sua inteligência acima da média iria lhe garantir o sucesso e Ester, uma caçadora muito hábil, que entrou no covil seguindo os rastros da terrível criatura com poderes sobrenaturais que aprisionava os incautos e os transformava em escravos de seu mestre Omsinredom Sop.

Findas as apresentações, todos decidiram que a melhor alternativa era permanecerem juntos, pois os heróis que estavam equipados com armas especiais tinham obtido sucesso onde todos os outros haviam fracassado, e sendo assim o grupo se tornaria  mais forte. 

A pergunta agora era como abrir as enormes portas de pedra a frente deles. 

- É obvio que estas pequenas colunas e estes blocos com letras gravadas formam um enigma que abre as portas, mas não consigo entender!! - Diz Antígona com um ar pensativo. 

- A mim, parece simples, precisamos colocar as letras certas sobre as colunas certas para acionar o mecanismo, imagino que cada bloco tenha um peso diferente e somente a combinação correta vai acionar o mecanismo. - Declarou Mateus já no pleno gozo de suas faculdades mentais - Imagino que por estarmos no covil do senhor do relativismo, estas oito colunas só podem referir-se a uma palavra. RELATIVO.

Os blocos com as letras foram colocados de forma a formar a palavra e as colunas desceram revelando um buraco de uns 40 centímetros na parede. Léo aproximou-se com a Lampada da Palavra e após certificar-se que não havia nenhuma armadilha Bruce enfiou a mão e retirou de dentro do buraco o Cinturão da Verdade que foi entregue a Siqueira, o clérigo recém liberto. Após a retirada do cinturão, uma pequena alavanca ficou visível no buraco e ao ser acionada as grandes portas se abriram revelando um enorme salão de pedra cheio de tesouros.

Gamaliel não demorou mais que alguns segundos para encontrar o livro Sagrado num dos cantos da sala em cima de uma coluna empoeirada. Mas antes que ele pudesse chegar perto do livro as coisas começaram a se complicar. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, mas mantenha o respeito. A partir de 12/03/14 só serão aceitos comentários identificados, assuma seu ponto de vista, identifique-se. Comentários com palavrões e ofensas serão excluídos, todos os demais (mesmo que discorde do ponto de vista apresentado) serão publicados e na medida do possível respondidos.