terça-feira, 29 de março de 2011

A Morte de um feiticeiro.

Olá amigos e irmãos, hoje vou postar um conto de minha autoria sobre o arrebatamento da igreja. 

O alto-falante chama para a grande concentração na praça central da vila, muita gente se aglomera para ouvir o pregador. Eu permaneço a distância, apenas observando.
Ele começa a falar de Deus, de seu amor pelos homens, do sacrifício de seu filho Jesus, que morreu pelos nossos pecados, mas ressuscitou e está vivo à destra do Pai.
Eu continuo somente observando e rindo de tamanha besteira, os outros feiticeiros como eu preferiram não vir, tinham coisas melhores para fazer, e alguns queriam concentrar-se em rituais para erradicar o “mal” do Cristianismo da África de uma vez.
O pregador continua a falar, agora de como Jesus virá para buscar aqueles que o aceitaram como Senhor e Salvador de suas vidas. Eu não resisto e começo a escarnecer em voz alta:
– Que Deus é esse que sacrifica seu filho para salvar os fracos?
Ele continua sua pregação sem me dar atenção – Dizia, pois, Jesus aos judeus que nele creram: Se vós permanecerdes na minha palavra, verdadeiramente sois meus discípulos. E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará (João 8:31-32).
– Me libertar de que? Já sou livre. Não sou servo de um Deus que se deixa capturar e ser humilhado. – Mais uma vez me manifesto, e mais uma vez sou ignorado, sem conseguir meu objetivo.
Durante aproximadamente 40 minutos fico ali indignado com aquela mensagem tola. Tentando trazer aquelas pessoas de volta à razão e mostrar-lhes que elas não precisam de um Deus castrador, e sim de um que dê a elas poder para conseguir o que quiserem. Mas o máximo que consigo é o olhar de censura de um ou outro que quer saber quem está tumultuando.
Finalmente o pregador faz um apelo para que as pessoas se entreguem a Jesus, dizendo que sua volta é iminente e que somente aqueles que o receberem terão o poder de serem chamados filhos de Deus e subir às nuvens com Cristo.
Uma ponta de duvida surge em minha mente – “e se ele estiver dizendo a verdade, como essa verdade me libertará, e de que?” Eu balanço a cabeça para afastar esses pensamentos, e vejo que uma grande multidão de pessoas atendeu ao apelo do pregador.
Então eu grito com toda a força dos meus pulmões:
– SEUS TOLOS VÃO ACEITAR O QUE ESTE HOMEM DIZ SEM TER UMA PROVA DE QUE O DEUS DELE REALMENTE EXIST...
Meu grito é interrompido pelo som forte de uma trombeta, meus olhos se fecham instintivamente, e quando se abrem novamente apenas um milésimo de segundo depois, a cena que vejo é inexplicável. Centenas de pessoas desapareceram da minha frente num piscar de olhos, inclusive o pregador. Suas roupas permanecem amontoadas no chão, no lugar onde elas deveriam estar em pé na praça. Anéis, colares, dentes de ouro, próteses, tudo ficou, apenas os corpos desapareceram. Apenas algumas pessoas permaneceram, inertes, sem entender o que ocorreu, algumas chorando e lamentando a perda de um conhecido ou familiar.
Eu me dirijo à plataforma de onde o pregador falava, o livro que ele exibia com tanto orgulho ainda está lá, eu o pego e começo a ler na página em que está aberta, e uma frase me chama atenção.
“Porque o Senhor mesmo descerá do céu com grande brado, à voz do arcanjo, ao som da trombeta de Deus, e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro. Depois nós, os que ficarmos vivos seremos arrebatados juntamente com eles, nas nuvens, ao encontro do Senhor nos ares, e assim estaremos para sempre com o Senhor”.(I TESSALONICENSES 4.16-18)
Começo a folhar aquele livro como um desesperado e encontro outra frase:
“Eis aqui vos digo um mistério: Nem todos dormiremos, mas todos seremos transformados, num momento, num abrir e fechar de olhos, ao som da última trombeta; porque a trombeta soará, e os mortos serão ressuscitados incorruptíveis, e nós seremos transformados”.(I Corintios 15:51)
Estas duas frases geram uma onda de impacto que atravessa todo o meu corpo e atinge o meu coração como uma espada afiada. Só então sinto a falta de meu cetro ritual, feito de um fêmur humano. Tudo começa a se encaixar em minha mente, então procuro por mais e encontro outra frase:
“Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim”.(João 14.6)
Começo a ver a verdade, como se meus olhos estivessem fechados há anos e se abriram de repente. Eu olho para o céu e não resisto, caio de joelhos prostrado com a Bíblia nas mãos. Logo sinto algo me guiando, me levando a fazer algo que há minutos atrás eu tentava impedir, não sei como fazer, mas as palavras vêm a minha mente e eu as repito em voz alta:
Senhor Deus, perdoa o mal que eu fiz, ajuda-me a aprender mais de Ti e governa a minha vida através do Teu filho Jesus Cristo que é o meu único e suficiente salvador.
Então uma luz intensa invade o meu ser, e eu me levanto leve, sentindo uma paz que nunca antes eu sentira. Deixo meus pertences e trajes de feitiçaria para trás, pego a Bíblia do pregador, agradeço a Deus pela sua existência e coragem e começo a minha mais incrível jornada.

N’gumo Mombata
Evangelista e ex-feiticeiro

Este texto é parte integrante do meu Livro "Profecia - RPG" (ainda não publicado). Espero que tenham gostado.

Que Deus abençoe a todos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, mas mantenha o respeito. A partir de 12/03/14 só serão aceitos comentários identificados, assuma seu ponto de vista, identifique-se. Comentários com palavrões e ofensas serão excluídos, todos os demais (mesmo que discorde do ponto de vista apresentado) serão publicados e na medida do possível respondidos.